<body><!-- --><div id="b-navbar"><a href="http://www.blogger.com/" id="b-logo" title="Go to Blogger.com"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/1/logobar.gif" alt="Blogger" width="80" height="24" /></a><form id="b-search" action="http://www.google.com/search"><div id="b-more"><a href="http://www.blogger.com/" id="b-getorpost"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/1/btn_getblog.gif" alt="Get your own blog" width="112" height="15" /></a><a href="http://www.blogger.com/redirect/next_blog.pyra?navBar=true" id="b-next"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/1/btn_nextblog.gif" alt="Next blog" width="72" height="15" /></a></div><div id="b-this"><input type="text" id="b-query" name="q" /><input type="hidden" name="ie" value="UTF-8" /><input type="hidden" name="sitesearch" value="hamrashnews.blogspot.com" /><input type="image" src="http://www.blogger.com/img/navbar/1/btn_search.gif" alt="Search" value="Search" id="b-searchbtn" title="Search this blog with Google" /><a href="javascript:BlogThis();" id="b-blogthis">BlogThis!</a></div></form></div><script type="text/javascript"><!-- function BlogThis() {Q='';x=document;y=window;if(x.selection) {Q=x.selection.createRange().text;} else if (y.getSelection) { Q=y.getSelection();} else if (x.getSelection) { Q=x.getSelection();}popw = y.open('http://www.blogger.com/blog_this.pyra?t=' + escape(Q) + '&u=' + escape(location.href) + '&n=' + escape(document.title),'bloggerForm','scrollbars=no,width=475,height=300,top=175,left=75,status=yes,resizable=yes');void(0);} --></script><div id="space-for-ie"></div>

sexta-feira, julho 13, 2007

A última palavra

Há aquela coisa dos putos que nos acompanha.

- Tu és estúpido.
- Estúpido és tu.
- Tu é que és.
- Tu.
- Tu.
- Tu.
(ad infinitum)

Ter a última palavra é uma obsessão. Um dever. Uma questão de honra. Como se perdêssemos a razão toda ao levar para casa o “estúpido”. Como se ficássemos diminuídos. Vergados e humilhados pelo mais teimoso. Vemos isso em debates, na televisão ou nos blogues, quando muitas vezes já não interessa o que se diz, apenas manter a face, ser o último a chamar "estúpido". Nas caixas de comentários chega ao paroxismo. Os anónimos são sempre os últimos a dizer “tu”, e podia haver um script, durante mil anos, a emitir a réplica, que na mesma seria derrotado pelo anónimo. Ter a última palavra é o que interessa, mesmo que já ninguém se recorde do que originou o primeiro “estúpido”.

Maturidade e bom senso é também desistir, abdicar do último eco e ir saudavelmente “estúpido” para casa.

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"Estúpido é quem o diz..." ou "quem o diz é quem o é"... seu... seu... estúpido!

3:05 da tarde  
Anonymous cjt said...

és tu.

Senhor Anónimo Teixeira

5:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

a partir da terceira passamos a tu é que és deixando de haver estupido na equação. depois da quinta já nem se lembram da 1ª ou da 2ª...
Já agora, tu é que és e não deixo anonomato

dino meira

1:01 da tarde  
Anonymous m said...

AH AH AH!!! Se descodificarmos um debate da AR temos isto:
"vocês não fazem" = "és mesmo estúpido";
"vocês puderam fazer e não fizeram" = "tu és mais";
"mas agora temos que limpar o que vocês fizeram" = "tu é que és";
"não, vocês é que não sabem fazer as coisas" = "és tu",
depois, a argumentação escasseia e vêm os equivalentes ao "tu!", "não, tu!"
Cada qual no seu autismo, e os estúpidos somos nós...

2:30 da tarde  
Blogger Diana Afonso said...

Que pena ser irregular este blog. Gosto disto.

9:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home